No dia 11 de maio, o setor ambientalista teve uma notícia nem um pouco agradável. Com a saída de Ricardo Soavinski da presidência do ICMBIO para assumir a presidência da Sanepar, o indicado para substituí-lo era um nome nada técnico: Moacir Bicalho, vice-presidente do PROS.

Com o temor de ver um órgão que, entre outras coisas, tem a função de gerenciar as Unidades de Conservação Federais ser usado como moeda de troca política, já que o PROS faz parte da base do governo do Presidente Michel Temer, um grupo de ambientalistas decidiu se opor à possível indicação e deixar claro ao Presidente e ao Ministério do Meio Ambiente que um nome técnico e de qualidade é essencial.

No final de semana a Rede Pró UC lançou uma convocatória de mobilização para todo o movimento ambiental por meio de whatsapp. Em seguida, redigimos uma carta compartilhada por diversos meios e que até o momento conta com 400 assinaturas de entidades, ambientalistas, cientistas e pesquisadores.

Ao mesmo tempo, servidores do ICMBio elaboraram uma carta expondo a apreensão do grupo com a possibilidade de ter na presidência uma pessoa que não tenha como principal interesse a conservação da natureza.

Felizmente, o movimento de resistência verde tomou proporções maiores do que o previsto, sendo pauta do programa Estúdio i, da GloboNews. No programa, o jornalista e ambientalista André Trigueiro expôs, com veemência, a articulação que estava sendo feita. A partir daí, então, o movimento tornou-se uma campanha: #NãoAoRetrocessoAmbiental. Além da hashtag, foram produzidos templates com frases que explicavam por que o ICMBio deveria ter um gestor que realmente entendesse do assunto.

No dia 16, um twitaço foi organizado, com participação de diversas instituições, jornalistas e membros da sociedade civil, todos interessados na conservação da natureza. O site especializado em meio ambiente O Eco publicou uma matéria sobre a mobilização dos servidores e do twitaço promovido pela Rede Pró UC.

Sabemos que o nome de Moacir Bicalho não consta mais como um dos elegíveis, mas até o momento não há um nome definido, mas a Rede Pró UC, junto com seus parceiros, continua lutando para que o próximo presidente do ICMBio seja uma pessoa com conhecimento de causa, interessada na conservação e não apenas um nome para agradar aliados políticos.

[ATUALIZAÇÃO 25/05/2018 – 18:40]

No dia 23, um novo nome apareceu como possível presidente do ICMBio: Cairo Tavares, Secretário Nacional de Formação Política do PROS, partido da base aliada do Presidente Michel Temer, e sem qualificação técnica ou conhecimento da área ambiental, consequentemente, incapaz de gerir órgão. No dia 24, Cairo esteve à tarde em reunião com a diretoria do ICMBio. Quando fomos informados, voltamos a pressionar o Governo para que este nome não fosse confirmado. À noite, Cairo convocou uma reunião com os servidores para anunciar que era o novo presidente do instituto. Os que participaram da reunião questionaram qual conhecimento ele tinha da área ambiental, e a resposta foi “o mesmo que qualquer cidadão”.

Dia 25 de manhã, servidores de sete Parques Nacionais paralisaram as atividades por uma hora. O objetivo era chamar atenção para a campanha contra o nome de Cairo e para mostrar à população a importância do ICMBio para a proteção e preservação do meio ambiente. Os servidores distribuíram panfletos e orientaram os visitantes sobre o motivo da paralisão. Os parques participantes foram: Parque Nacional da Tijuca (mais visitado do país), Parque Nacional do Iguaçu (segundo mais visitado), Parque Nacional da Serra dos Órgãos (em Teresópolis, onde fica o Dedo de Deus), Parque Nacional de Brasília (novo mais visitado), Parque Nacional do Itatiaia (onde fica o Pico das Agulhas Negras), Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (ampliado em 2017) e o Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha (quinto mais visitado). Estes parques recebem 90% dos visitantes de todos os Parques Nacionais do Brasil.

Diversos veículos estão cobrindo a mobilização, como o Correio BrazilienseEstadão, O Globo, Folha de São Paulo, G1. Jornalistas respeitados, como Miriam Leitão e André Trigueiro também repercutiram sobre o assunto. O Ministério Público Federal também se manifestou e fez a recomendação do perfil ideal do próximo presidente do ICMBio.

Aguardamos novas informações e vamos compartilhar conforme aparecerem e forem confirmadas.

[ATUALIZAÇÃO 28/05/2018 – 12:15]

No final de semana, o movimento para impedir que o ICMBio seja entregue como barganha política prosseguiu. Novamente, parques paralisaram atividades e as pessoas se manisfestaram em redes sociais.

O Parque Nacional de Brasília, por exemplo, permaneceu fechado durante todo o domingo, dia de maior movimento na Unidade de Conservação. Os servidores permaneceram na portaria, instruindo os visitantes sobre o motivo da paralisação e recebendo apoio dos que passaram por lá.

No Parque Nacional do Itatiaia, o primeiro criado, em 1936, e um dos símbolos de proteção à Mata Atlântica, paralisou as atividades das 10h30 às 12h30, também domingo. Servidores informavam os visitantes sobre o desejo do governo de entregar o ICMBio ao PROS Nacional, e receberam o apoio da população.

No Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, ampliado em 2017, também houve paralisação e orientação aos visitantes. Como esperado, os servidores receberam apoio pela luta.

Também domingo, seis ex-ministros do Meio Ambiente enviaram uma carta ao Presidente Michel Temer lamentando a indicação política no ICMBio e destacando a pressão que as Unidades de Conservção sofrem por conta de interesses privados.

O nome de Cairo Tavares, ou qualquer outro, não constou no Diário Oficial de hoje, 28/05. Isto significa mais um dia de luta para que o próximo presidente do ICMBio tenha qualifação técnica e de qualidade, idoneidade e conhecimento sobre conservação da biodiversidade.

[ATUALIZAÇÃO 06/06/2018]

A Rede Pró UC, em conjunto com o Observatório de Justiça & Conservação e o movimento Pare Preste Atenção, lançou um vídeo com a participação de diversos artistas, como Mateus Solano, Bela Gil, Luis Melo, Letícia Sabatella, Guta Stresser, Katiuscia Canoro e Danny Glover, em protesto à indicação política para a presidência do ICMBio. O vídeo foi lançado nas nossas redes sociais, e você também confere aqui.

Você confere algumas matérias veiculadas nos meios de comunicação:

Gazeta do Povo (25/05/2018) – Ambientalistas contestam indicação política para o ICMBio

Folha de São Paulo (26/05/2018) – Parques são fechados em protesto contra indicação de Temer para órgão ambiental

Gazeta do Povo (26/05/2018) – Servidores fecham Parque do Iguaçu por indicação de Temer para órgão ambiental

Correio Braziliense (26/05/2018) – Protesto de servidores do ICMBIo deve fechar a Água Mineral neste domingo

O Globo (26/05/2018) – Ambiente sob pressão

O Globo (27/05/2018) – Em carta enviada a Temer, ex-ministros lamentam indicação política para o ICMBio

Conexão Planeta (27/05/2018) – Ex-ministros enviam carta a Temer e servidores fecham parques em repúdio à indicação para a presidência do ICMBio

Correio Braziliense (27/05/2018) – Marina Silva e quatro ex-ministros repudiam novo presidente do ICMBio

Congresso em Foco (26/05/2018) – Responsável por parques, ICMBio deve ser entregue a dirigente partidário sem experiência ambiental

[ATUALIZAÇÃO 29/05/2018 – 15:45]

O Presidente Michel Temer sancionou ontem (publicação hoje no Diário Oficial da União) a lei que autoriza o ICMBio a contratar uma instituição financeira para criar e administração um fundo privado com recursos de compensação ambiental. Os recursos giram hoje por volta de R$ 1,8 bilhão, e devem ser usados nas unidades de conservação.

Este é um dos motivos por que o ICMBio precisa de uma gestão com qualificação técnica, de qualidade e idônea.

[ATUALIZAÇÃO 15/06/2018 – 23:10]

Vitória do movimento ambientalista. O Presidente Michel Temer nomeou Paulo Carneiro para a presidência do ICMBio. Paulo Carneiro é engenheiro floresta, com mestrado na área e há anos atua no instituto, inicialmente como analista e mais recentemente como Diretor de Criação e Manejo de UCs.

A Rede Pró UC se orgulha por ter tomando a frente desta mobilização e por mais esta conquista.

 

Algumas matérias sobre a nomeação de Paulo Carneiro à presidência do ICMBio:

Paraná Portal (18/06/2018) – Planalto recura e ICMBio comemora nova indicação

O Globo (16/06/2018) – Governo recua e desiste de nome político para presidência do ICMBio

Jornal do Brasil (16/03/2018) – Após protestos, governo nomeia para presidência do ICMBIo servidor com experiência na área

O Eco (15/06/2018) – Governo recura e nomeia um especialista para a presidência do ICMBio

 

Você pode acompanhar atualizações em nossas redes sociais: Twitter, Facebook e Instagram.