Por

Refúgio de Vida Silvestre (REVIS) Tabuleiro do Embaubal, no município de Senador José Porfíriom é o maior local de desova de quelônios da região. Foto: ASCOM/Ideflor-Bio

 

Nesta segunda-feira (20/06), o Estado do Pará oficializou, através dos Decretos de nºs 1.566 e 1.567, a criação de quatro unidades de conservação (UCs): o Refúgio de Vida Silvestre Tabuleiro do Embaubal e a Reserva de Desenvolvimento Sustentável Vitória de Souzel, localizadas no município de Senador José Porfírio, e a Reserva de Desenvolvimento Sustentável Campo das Mangabas e Refúgio de Vida Slvestre Padre Sérgio Tonetto, situadas no município de Maracanã.

Os refúgios de vida silvestre (REVIS) são destinados à proteção da biodiversidade encontrada na região e, principalmente, dos quelônios, cujos sítios de reprodução têm sido ameaçados. As reservas de desenvolvimento sustentável (RDS) funcionarão como uma zona do entorno dos REVIS, reunindo as ilhas do rio Xingu, assim como parte das comunidades que vivem à beira do rio e nele desenvolvem a pesca como principal atividade econômica.

A proposta de criação das unidades também levou em consideração a grande beleza cênica do local, que possui ecossistemas de praia, várzea e igapó, além de exibir uma rica diversidade biológica com presença de espécies ameaçadas de extinção, migratórias e endêmicas. As UCs poderão desenvolver atividades de visitação e educação ambiental, bem como a exploração de componentes dos ecossistemas naturais em regime de manejo sustentável, na forma de seus planos de manejo.

As unidades

Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Vitória de Souzel. Foto: ASCOM/Ideflor-Bio

Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Vitória de Souzel. Foto: ASCOM/Ideflor-Bio

O Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio) será o órgão responsável em administrar e presidir o conselho deliberativo e o conselho consultivo das quatro novas áreas protegidas. Com a  criação das unidades de conservação, o Ideflor-bio pretende fomentar o desenvolvimento sustentável do ponto de vista sociocultural e ecológico.

REVIS Tabuleiro do Embaubal

Com um território de 4.033,94 hectares, o Revis Tabuleiro do Embaubal é o maior local de desova de quelônios. Com a sua criação, um rico patrimônio biológico do Rio Xingu poderá ser preservado. Composto por dezenas de ilhas cobertas com vegetação nativa, abriga aves migratórias e espécies da fauna amazônica em situação de vulnerabilidade, bem como preserva ambientes naturais onde se asseguram existência ou reprodução de espécies locais, residentes ou migratórias. Espécies atraentes para o turismo, como as duas espécies de boto, peixes-boi, jacarés e aves aquáticas são abundantes.

RDS Vitória de Souzel

Localizada no leito do Rio Xingu, o RDS Vitória de Souzel possui uma área de 22.956,88 hectares. A unidade busca garantir a proteção dos recursos ambientais e socioculturais da área, assim como a manutenção do equilíbrio ecológico existente e o desenvolvimento de projetos que proporcionem renda às famílias e educação ambiental como forma de diminuição da pressão humana sobre a biodiversidade aquática e terrestre do local.

RDS Campo das Mangabas

Com a preservação dos 7.062,02 hectare, a unidade assegura a colaboração das comunidades locais, no exercício das atividades de fiscalização, de competência do órgão ambiental, relativas à proteção dos recursos naturais existentes e combate as queimadas.

REVIS Padre Sérgio Tonetto

Com uma área de 339,28 hectares, o Refúgio visa a preservarção dos ambientes essenciais para a existência ou reprodução de espécies ou comunidades da flora local e da fauna residente ou migratória. Também garante a preservação do campo cerrado, ecossistema de rara ocorrência no Estado.

Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Vitória de Souzel. Foto: ASCOM/Ideflor-Bio

Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Vitória de Souzel. Foto: ASCOM/Ideflor-Bio

*Com informações da Agência Pará