Por ((o))eco

Um dos decano do ambientalismo no país, o almirante Ibsen é homenageado pelo governo de São Paulo. Foto: F. Boticário.

Um dos decano do ambientalismo no país, o almirante Ibsen é homenageado pelo governo de São Paulo. Foto: F. Boticário.

Na edição de sexta-feira (24) do Diário Oficial do Estado de São Paulo, o governador do estado, Geraldo Alckmin, decretou que o pico de 682 metros localizado na Estação Ecológica Juréia-Itatins passa a se chamar Pico Almirante Ibsen de Gusmão Câmara. O almirante morreu em julho de 2014, aos 90 anos.

O decreto destaca “os relevantes trabalhos desenvolvidos para conservação da biodiversidade paulista e brasileira”, a “excepcional liderança e dedicação à causa ambientalista” e “o alto significado científico da contribuição trazida à proteção da natureza no Estado de São Paulo e no Brasil”.

Ibsen de Gusmão Câmara era um decano do ambientalismo brasileiro. Ambientalista numa época que quase ninguém falava sobre meio ambiente, acumulava em seu currículo grandes feitos pela conservação do país: liderou a campanha contra a caça de baleias no Brasil e teve papel de destaque na criação daReserva Biológica Atol das Rocas (1979), do Parque Nacional Marinho de Abrolhos (1983), e do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha (1987). Em São Paulo, participou da luta pela criação do Parque Estadual Carlos Botelho, localizado em São Miguel Arcanjo.